Mundo Mais

  • Latest News

    Tecnologia do Blogger.

    Translate

    segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

    Prive Contos Eróticos - Médico do Cacetão




    Olá. Eu sou um cara que fiz 19 anos há pouco tempo. Moreno claro, olhos castanhos, cabelo preto, 1,67 de altura, ombros largos. A minha história erótica aconteceu quando eu menos esperava. Desde dos meus 17 anos até atingir a maior idade eu tinha feito sexo com amigos da minha idade e sempre tive muita vontade de fazer sexo com homens maduros de 20 e poucos anos. Uma noite, precisamente as 6hs da noite/tarde. Eu estava em casa me sentindo mal, foi quando tive a idéia de ir para um hospital com meu plano de saúde. No hospital cheguei no balcão para ser atendido e disseram que tinham disponível um clínico geral.Eu falei que tudo bem, iria esperar. Esperei, esperei e depois fui chamado para o consultório, a enfermeira tirou minha pressãoe depois disse que o doutor ja iria chegar.
    Fiquei esperando, estava meio assustado, sempre tive medo de hospital e o cheiro e tudo mais. Quando o doutor chegou, ele era um cara alto, com um corpo esbelto mas bem alinhado, cabelos preto curto, olhos castanhos claros, fios de barba, vestia um jaleco, e entrou na sala fechando a porta e pegando muito dentro das calças, eu na minha mente inocente naquele momento não prestei tanta atenção e ignorei. Ele começou a perguntar, se apresentou, não lembro o nome dele mas vou chama-lo de Cacetão, vocês vão entender. Eu comecei a responder as perguntas deles, e enquanto ele estava do outro lado da mesa, ele se mexia muito e parecia meio suado, até passou pela minha cabeça que ele tinha feito alguma coisa com alguém antes, mas como eu penso muito nisso e fantasio muito, não liguei para o que eu estava pensando. Ele pediu para eu deitar na maca, e levantou um pouco minha blusa, eu fechei meus olhos e fiquei relaxando, achei que era de praxe (mas que mente inocente não?), ele continuou me examinando, colocou o aparelho de escutar o coração e depois ficou dando umas massagens circulares no meu peito, levantou uma vez a minha bermuda e viu minha cueca... continuei achando aquilo super normal, fazia pouco tempo que eu tinha completado 18 anos. Ele afastou meus braços enquanto estava de pé do meu lado me massageando, foi aí que senti um negoço duro encostando no meu braço direito, claro que eu sabia que era o pau dele, mas pensei que ele tivesse encostando porque a maca era baixa e não podia ser evitado, quanta inocencia a minha... Ele ficou encostando demais, ai eu começei a me tocar que aquilo não era uma consulta comum. Eu me mexi um pouco e ele perguntou se estava tudo bem, eu falei que sim, ai ele perguntou de novo, dessa vez ele esfregou nitidamente o pau por cima da calça no meu braço, bem, só um doido não entenderia o que isso queria dizer, começei a me excitar, ele perguntou se eu queria, tinha um sotaque meio mexicano e safado e era muito bonito, sorte minha, eu acho. Eu disse sim e ele foi logo tirando pelo zíper o pau dele, grosso, levemente moreno, com o cabeção, vou te contar, era enorme mesmo, mau cabia na boca. Eu começei a chupar e ele empurrando minha cabeça para eu ir mais fundo... mas não me engasguei, me entreguei ao momento sacana, era um pau digno de ser chupado, grandão, um cacetão... Uma baita vara. De vez em quando ele pedia para eu parar e olhava atrás daquela divisória que tem nas salas para dividir a maca da mesinha, para ver se a enfermeira não estava vindo. Aquilo, a tensão e a rapidez estavam me excitando cada vez mais. Eu fiquei lá chupando, ele pediu para mim virar, eu quis beija-lo ele exitou, não queria beijo, isso me irritou um pouco, ele nem chegou a tocar no meu pau, vai ver porque perto do dele era humuilhação... bem, mas ele pediu para eu virar e ficar com a bunda virada para ele, com os pés no chão e os braços na maca, ele baixou minha cueca, colocou um dedo no meu cu... fiquei com medo, era muito grande, ele ficou lá tocando no meu cú, deu mais uma olhada para ver se não vinha mais ninguém e perguntou se podia meter o cacetão dele em mim. Ele era safado, com um sotaque de matar, mexicano sei lá, aquele homem, com toda sua virilidade, devia ter uns 28 anos, novo, muito bonito, e educado, não fazia nada sem antes me perguntar. Eu numa erupção de tesão deixei, ele enfiou, por incrível que pareça não doeu nada! Acho que foi a massagem relaxante que ele tinha feito antes, ele ficou lá com movimentos rápidos, o cabeção do seu pau entrava e saia, enquanto eu encostado na maca, sentia o prazer, era muito gostoso, teve uma vez que ele enfiou bem fundo e eu senti um ardido pequeno, mas ai ele insistiu e passou, ele ficou me comendo, só naquela posição e não me tocava, nem fazia nada, só segurava minha bunda para pulsar com mais volúpia meu cu, eu fiquei gemendo baixinho e punhetando meu pau, depois ele tirou e pediu para eu ficar de frente para ele, eu fiquei e ja esperava a porra quente dele. Ele pediu par eu chupar, eu chupei... e depois gozou na minha cara. Ele não fazia nem um barulho, mas tinha um respiração ofegante que era de da o maior tesão, depois de estar com a cara toda gozada, ele guardou o cacetão dele dentro da cueca e me deu um papel para limpar a cara, limpei. Depois tentei beija-lo, ele exitou de novo. Mesmo sabendo que ele agiu feito um ativo que nem me tocava só ficava se esbaldando de prazer, como se eu fosse um objeto, eu gostei. Ai depois me vesti, ai ele sentou do lado dele da mesinha e olhou para mim como se nada tivesse acontecido, ficou lá dizendo que não viu nada demais no meu coração, mas era bom eu procurar um cardiologista,e que eu não me preocupasse. Eu fiquei olhando ele, até parecia que ele não tinha feito nada, aí a gente se comprimentou com a mão e ele disse para que tudo ficasse entre a gente, ai sim, percebi que não tinha sido imaginação, aconteceu mesmo. Fui embora do consultório morrendo de rir, não acreditava, eu sempre quis viver uma fantasia de filme porno, e assim do nada, me aparece esse cacetudo para realiza-la, quando eu apenas tinha intenção de me consultar. Foi uma noite e tanto, fiquei imaginando como pude aguentar um cacetão como o dele, acho que foi o prazer e tesão, e a tal massagem relaxante, Nunca mais fui nesse médico, não sei porque, mas lembro de ter visto uma aliança na mão dele. Era casado, acho que foi por isso, que agiu tão friamente me comendo, mais era um macho de respeito, e que macho. pode acreditar aconteceu mesmo, comigo, foi real e sacanage, pura. Agora todo médico que vou fico esperando uma coisa dessas acontecer de novo. Quem sabe aconteça. Mas foi muito bom. Muito bom mesmo, aquele médico do cacetão.Que médico.



    Mundo Mais   
    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    0 comentários:

    Postar um comentário

    Item Reviewed: Prive Contos Eróticos - Médico do Cacetão Rating: 5 Reviewed By: Renan dos Reis
    Scroll to Top