Mundo Mais

  • Latest News

    Tecnologia do Blogger.

    Translate

    terça-feira, 11 de abril de 2017

    Prive Contos Eróticos – E se foi o CABAÇO do meu novo AMIGO







    Eu aos 19 anos buscava descobrir novas formas de prazer, e foi nesta mesma busca que conheci um novo amigo, mais jovem ele tinha 17 anos e como eu estava sedento por descobertas, eu porem acreditava que sexo somente se fazia com mulheres e não via neste novo amigo uma coisa comestível.

    Porem a amizade foi tomando forma e ele não saia da minha casa, ele estava sempre comigo e era um bom colega, curtia gatas e falava em mulher direto assim como eu, mas o tempo foi passando e eu fui querendo saber por que existiam tantos viados e o que trazia esta relação de diferente.






    Com tudo isto comecei a ver a linda e novinha bundinha que meu amigo tinha, ele era lindo, novo, simpático e tinha um corpo de garotinho que trazia uma nova exencia.

    Em uma noite ele me pediu para eu deixar ele dormi na minha casa, pois ele me faria companhia devida minha mãe e pai estaria viajando. Eu pedi para sua mãe e ela deixou, pois confiava em mim devido sermos unha e carne mais sempre com responsabilidade.

    Ele veio era exatamente 10 da noite onde eu estava a sua espera, ele era gente boa e gostava junto comigo de jogar game, éramos parceiros apesar da pouca idade entre ele e eu, mas ele era adulto, jovem, bonito e tinha um jeito serio de ser.





    Ele chegou e ele estava sem camiseta, e seu corpo de começo de academia estava a amostra e ele com seu jeito estava me fazendo o observar e ver que ele seria fruto de uma nova experiência onde eu teria como alvo descobrir algo diferente do gosto de uma bucetinha.

    Estávamos livre somente nos dois e eu tinha um plano para fazer dele uma putinha amigável, o chamei para tomar umas cervejas que estava na geladeira e assistir um filme de comedia. Ele disse que não bebia e eu o chamei de careta e que hoje era um dia ousado e que ele iria sim beber, ele sem graça toma e começa a tomar umas geladas.

    O tempo passa e ele junto comigo já tínhamos tomados três latinhas, eu sem me contentar, pois queria ver ele mamado e mamando fui ao mercado comprar mais 10. Era a noite das descobertas e eu investi e fiz ele tomar uma grande parte da bebida.

    Ele estava todo feliz que não percebia o filme, começou a falar mole e dançar, eu estava quase bêbado também mais tinha um propósito, uma busca, uma descoberta.

    Ele com sua bermuda e sem camiseta me deixava com vontade de furar ele, pois não parava de olhar para seu rabinho novinho e gostoso. Éramos somente nos dois e uma duvida como seria ele na cama.
    A noite foi tomando forma e eu fui tomar banho, tirei toda a roupa e de porta aberta comecei a fazer o meu plano funcionar, deixei meu corpo másculo e meu 20 centímetros a amostra deste menino.

    Ele totalmente bêbado estava louco, havia desligado o filme e colocado um denc e se demonstrava todo na sala, sendo que em menos de 3 minutos o vejo na porta do banheiro de olho em mim.

    Fico parado diante da água e dele, mostro meu pau totalmente duro com vontade de meter e ele fixada mente me olha e me pergunta se eu já havia metido tudo isto em uma menina, Eu olho nele e falo que adoro uma buceta e que as meninas gemem na rola como loucas por tora. Ele não resiste e diz que era muito grande e que a dele não era como a minha.

    Pergunto a ele quanto mede a dele e ele me diz que 16 centímetros.

    Saiu do banheiro depois de uma boa conversa sobre sexo e sobre mulheres para ele não desconfiar da minha vontade de torar ele no meio.

    Vou para o quarto e noto que ele estava mamado e com sua rolinha dura e os olhos loucos por minha piroca duríssima.

    Ele olhava e eu perguntei se ele estava a fim de tocar para sentir o tamanho e a grossura, ele diz que não e que era coisa de boiola, mas retruco e digo que ficaria entre nos e que ele poderia confiar em mim, pois era apenas uma curiosidade nossa.

    Ele se aproxima e pega com medo na rola que estava doido para meter, ele diz que era muito grossa e grande, respondo pegando na mão dele e fazendo um carinho nele.

    Ele com medo se assusta mais eu digo que era uma coisa normal e que ficaria entre nos, dois homens maduros que apenas estava aprendendo. Ele sorri com um olhar de bêbado lindo, pesso para ele beijar minha vara, ele com muito medo, mas comovido por meu carinho se abaixa e começa e cheirar minha pica…
    Sinto meu amigo começar a tomar gosto pela coisa, pego no rosto dele e sem perceber o levanto e meto um gostoso beijo na boca dele, sentia seus lábios novos e carnudos e tocava na sua pele e seus músculos que se formava devido a academia.

    Ele não resiste e me faz delirar, pois era uma coisa ousada, diferente, simples e um gosto de proibido. Ele e eu caímos na cama, eu já havia deixado a tolha e apenas estava curtindo a noite e a boca deste menino que me ensinaria o desejo e o prazer de uma nova forma de prazer.

    Este meu amigo cedia os encantos do meu corpo de homem de 19 anos e me tocava com carinho, me beijava como nunca, me mordia e se abaixava para sentir o gosto real da minha pica de 20 centímetro, eu já estava deitado e ele por cima me sentindo e me tocando, sua língua descobria algo novo, era minha rola, onde ele com sua língua dava voltas na cabeçona grossa e me fazia delirar e descobrir que sexo poderia ser melhor com outro homem.

    Eu o sentia e via nele o desejar de uma vontade, ele era novinho, romântico, humilde e fazia de mim a pessoa, o homem mais feliz da noite, pois alem de sexo existia o respeito e a confiança de uma amizade que surgia diante do tempo. Era ele meu novo amigo, uma pessoa que me ensinava que amar vai alem do desejo, alem da vida, alem das escolhas e das orientações sexuais.

    Ele era somente meu, dois homens e uma escolha, fazer sexo.
    Eu começava a delirar com seu corpo e passava a mão no rabinho que tanto desejava, passava os dedos e diante do anel virgem que esta noite estaria sento aberto por homem.

    Eu delirava e estava louco para abrir aquele rabo, fazer dele um viadinho, meu viadinho e sentir novas coisas diante do sexo. Ele estava de bruços e eu começava a mamar no seu rabinho, passava a língua diante do anelzinho dele e ele gemia, sentia minhas fortes mãos e meu tocar de homem e de jovem.

    Estava eu pronto para descobrir o que era meter a rola em outro homem, e via o corpo e a mente brigar por uma somente vontade.

    Ele estava deitado diante de mim, e eu com guspe começava a dar dedadas na abertura do rabo dele. Ele gemia de dor, pedia para eu ir devagar e eu com carinho abria alas para o cacete que estava prestes a adentrar nele. Ele delirava ao sentir meus dedos e meu corpo, minha língua deslizar em seu pescoço.

    O cuspe abria passagem para o desejar e o fazer, era minha pica grassa que estava prestes a fazer ele delirar e gemer, seu rabo sente a grandeza e começa fechar com o medo, eu o acalmo e digo que o carinho e que será devagar. Começo a abrir passagem com a tora e ele geme de dor, não resiste e pede para eu parar, o beijo na boca e peço calma para ele.

    Estávamos nos dois, um medo, uma busca e eu com 20 centímetros prontos para adentrar na ativa, ele sentia calma e relaxava enquanto eu começava a sentir o anel se afrouxar, ele gemia e dizia que estava doendo, mas a rola adentrava e começava e fazer dele um viadinho, o sangue foi inevitável, a dor também, porem passados e compensados pelo carinho,

    Ele estava atolado, aberto e o sangue se tornava atrativo para as bombadas dentro do rego dele começar. Ele gemia ao choro forte da perda de um anel, mas sentia a dominação e o prazer das metidas fortes que adentrava e fazia no seu cuzinho.

    Ele gemia forte e começava e esquecer o tamanho e a grossura que estava dentro dele e sentia a quentura do desejo sexual, ele gemia e começava a rebolar na minha vara devagarzinho.

    As bolas batia na sua abertura, a força começava a fazer dele um homem do prazer, minha rola esquentava dentro dele e sentia algo diferente, era o prazer da carne, da vontade. Seu cuzinho agora era algo do prazer e do delírio, eu metia forte e ouvia ele berrar de prazer, sentia seu corpo suar e sua bundinha fazer de mim um homem feliz em uma noite feliz.

    Meu novo amigo de 15 anos estava todo aberto, enrabado e sentia a pegada forte de um bom homem de 19 anos, ele sentia meu corpo em cima dele e minha língua encostar nos seus lábios, era o prazer e a vontade se tornando uma coisa só. O anel estava perdido, fudido, aberto e ele estava feliz, pois aquentava uma rola todinha dentro dele, era 20 centímetro de puro sexo, de pura pegada,.

    Eu estava louco, suando, uivando de delírio e prestes a gozar dentro do cuzinho jovem do meu amigo, o suar toma conta da cena e a pegada fica mais fortes junto com calor imenso, era dois homens e apenas uma coisa, o sexo.

    Meu cacete estava inchado de vontade de meter um jato quente dentro dele, ele já sentia a força e o que estava prestes a sentir.

    Eu começava a gozar, eu e ele gemíamos juntos e meu cacete vibrava de tanto sentir prazer, era uma coisa que jamais senti antes, era uma delicia total, melhor que uma buceta, era uma verdade sexual.
    Eu gemia e deixava ele cheio de dor e de leitinho, ele me beijava como nunca e eu sentia confiança nele.
    Parei de meter, começava a diminuir a velocidade e aumentava os beijos, e sem mais estávamos nos dois, um do lado do outro se olhando. eu havia limpado seu rabinho e o sangue com porra, e juntos começamos uma historia de fortes amizades e de descoberta.



    Acordamos cedo, eu e ele abraçados e percebemos o que havia acontecido. Conversamos e deste dia em diante se tornamos mais que amigos, eu metia nele direto e ele me fazia sentir a cada dia mais prazer.
    Era a descoberta simples do sexo, a luta e a amizade, e acima de tudo o respeito pelo prazer e pelo ser.
    Dois homens e uma escolha.

    Fazer SEXO alem dos tempos, das virtudes, alem da amizade.
    FIM –

    Autor: Escritor Danyel
    escritordanyel@hotmail.com
    ————————————————————————————————-
    Acesse e leia mais ;
    www.casadoescritor.blogspot.com
    Mundo Mais 



    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    0 comentários:

    Postar um comentário

    Item Reviewed: Prive Contos Eróticos – E se foi o CABAÇO do meu novo AMIGO Rating: 5 Reviewed By: Renan dos Reis
    Scroll to Top