Mundo Mais

  • Latest News

    Tecnologia do Blogger.

    Translate

    sábado, 29 de julho de 2017

    Prive Contos Eróticos - (Incesto) Dei pro meu TIO

    A vida na adolescência se torna mais e mais confusa, inclusive quando se trata em sexualidade, vontades de desejos que às vezes temos medos de admitir para nós mesmos. Sempre fui um garoto muito tímido e me esconder da minha verdade se tornava um esporte solitário, meus medos batia a porta e meus desejos se tornavam prazer as escuras em diversas punhetas na madrugada. Nunca tive relações sexuais com mulher, pois a minha timidez falava mais alto que os desejos, às vezes a vontade e a beleza delas me fazia sentir certa vontade, mas nunca eu teria coragem de chegar nas garotas da escola pois as achava muitas vulgar. Minha mãe me disse em uma tarde que estaríamos recebendo uma visita, e que meu tio Reinaldo viria passar uns dias em casa. Pouco me importei devido não o conhecer e estando de boa continuei minha vida ao normal. Na tarde seguinte ao chegar da escola me deparo na sala de casa com um homem alto, de estatura corporal forte, olhos verdes e trajados de uma regata que deixava visível uma tatuagem de um escorpião no braço esquerdo e uma bermuda cinza. Achei estranho, pois não me lembrava do que minha mãe havia dito na tarde anterior e logo ela me apresentou ao mesmo. -Filho este é seu tio Reinaldo; ele quem vem passar uns dias com a gente. Fiquei meio surpreso, pois imaginava ele mais velho e nunca pensei que fosse de tal forma mexer com meu imaginário me fazendo ficar desconcertado naquele mesmo momento. Minha mãe logo disse o pior, que ele teria que dormir no meu quarto, devido lá ter um colchão embaixo da minha cama, mas é a vida e assim a mesma seguiu. Reinaldo parecia ser bem novo, um corpo bacana, um olhar fixo e um jeito simpático, logo puxou conversa e eu assim não fez de rogado e ficamos ate tarde a conversar. Ele me disse ter 32 anos, fazia academia, e que estava aqui para ajudar minha mãe, pois também cursava direito e necessitava deste estagio e assim poderia aprender também e nos embalamos a se conhecer ate o jantar. Reinaldo havia ido tomar banho, e eu estava realmente sentindo algo estranho, meu corpo sentia um imaginário reacender diante de um desejo nunca antes sentido, logo eu ouvia dentro de meu quarto o barulho da água caindo e imaginando como seria aquele homem todo pelado, minha mente estava confusa, pois jamais havia sentido tal sentimento antes. Ele saia naquele momento do banheiro somente de cueca e aquela visão era realmente delirante, aquele corpo forte, peitoral malhado, coxas grossas, boca carnuda e um olhar que me fazia sentir prazer e tremer de medo do que sentia. Ele estava de cueca preta, e era impossível deixar de notar o volume que se estendia lá dentro, logo então o via se enxugar, e delirantemente fiquei parado a observar a beleza daquele homem, ele então me fez cair na real, logo notou que meu olhar se tornava de tara de desejo e então com sua mão esquerda começou a acariciar aquela pica que parecia já estar dura, eu totalmente parado tentei disfarçar e então ele na malandragem arrumou seu colchão e disse que dormia somente de cueca. Tio Reinaldo percebia meu interesse na sua piroca e logo com uma meia luz eu na minha cama o via deitado de barrica para cima e deixando aquele volume a me deliciar mentalmente, ele então acariciava gostosamente e eu não conseguia me conter. Logo Tio Reinaldo me desafia e pergunta. -E ai cara, já comeu muitas meninas aqui na cidade grande? -Sim, algumas do colégio!, Respondi a ele:, sabendo e tremendo por saber que ainda nunca tinha comido uma buceta na vida. Então ele logo retirou de dentro daquela cueca preta uma geba enorme e começou a se punhetar na minha frente, e eu louco nunca tinha visto uma rola tão grande, começava a conversar comigo e ainda massageando sua pica. -E ai cara? Tá afim de se punhetar, ou bater uma pra mim, cai aqui!. Fiquei com o corpo tremulo e totalmente sem ação, ele me acalmava. -Fica de boa, ninguém vai saber, pega aqui na minha, sei que você esta com vontade. E eu então cedia e caia no mesmo colchão que era abraçado por aquele corpo cheiroso, e sem ação ele me lascou um beijo molhado, e eu meio que tentei sair, mais diante do prazer e da gostosura sentida não resisti a delicia de sua pegada. Então estava eu num sendo engolido pelo tio tarado que logo me fazia tocar na sua geba grossa e grande, ao mesmo tempo em que me beijava e me fazia carinho, ficamos totalmente juntos e era gostoso sentir aquele corpo malhado e suado, aquele beijo doce e seus braços a me proteger. Meu tio então me mandava delicadamente chupar sua pica grossa e eu então assim obedecia e via diante de mim minha boca ser consumida por uma pica grossa e gostosa, meio sem jeito eu mamava gostoso e ainda era acariciado pelo cabelo; sentia o gosto daquela rola grossa, minha língua passeava pela aquela cabeçona e ainda sentia suas bolas rapadas e ser acariciada. Tio Reinaldo enquanto isto retirava toda minha roupa e começava a acariciar minha bundinha e com seus dedos começava a fazer uma gostosa massagem anal, eu gemia ao ser tocado e estar sentindo o gosto do prazer carnal. Era gostoso o chupar daquela rola, o tocar em seu corpo, o beijar em sua boca que me fazia gemer e tremer de tanto prazer, meu anelzinho piscava diante daqueles dedos grossos e grandes a navegar nas minhas entranhas anais, era gostoso, prazeroso e eu me identificava gostosamente com toda aquela situação. Meu tio era carinhoso e sabia muito bem como comer um viadinho e fazer de um cuzinho ser o jantar de um prazer ao misto de carinho, e assim ele me mandava deitar de bundinha pra cima e com muita vontade assim ficava, estava com certo medo, mas seu carinho o retirava e o prazer falava mais alto, e o desejo estava muito alem de qualquer dor que poderia eu sentir. Tio Reinaldo então abriu minha bundinha e com seus dois dedinhos massageava internamente, e logo começava a apontar a cabeçona de sua rola enorme que me abria e me fazia gemer, logo sentia cada milímetro a navegar dentro de mim e me fazer sentir prazer e dor em um misturar delicioso de prazer. Seu carinho, sua pegada e sua rola já se fazia presente dentro de mim, sua boca me beijava enquanto sentia sei ir e vir de uma pica que já me consumia internamente. Meu cuzinho parecia aberto, estourado e minhas entranhas doía ao mesmo tempo em que o prazer daquele vai e vem se tornava ainda mais prazeroso a me arrepiar, eu gostava de tudo aquilo e aquela rola grossa, em beijos e mordidas na orelha me fazia sentir a garotinha do titio, que me fudia gostosamente, deliram tente a me abrir todinho. Ardia aquela rapidez em seu meter, e assim de invés ficar de bunda pra cima estava eu de quatro agora sendo carcado cu adentro, ele metia forte e feito um cavalo me fazia gemer, gritar e gostar, ele me fazia se sentir uma puta, um viado de zona e me enchia de prazer com tamanha rola dentro do meu cu. -Titio mettttttee, aaaaaaaaai gostoso, mete, mete.... aaaaaaiii ; assim gritava eu de dor e rebolando na pucona dele; ele então sentou no chão e me pegando no colo me jogou pra cima da rola dele, com seus braços me fazia subir e descer, sentando gostosamente na sua tora, ele me abria e me comia... eu era aberto e feito um viado era totalmente arrombado. Meu cuzinho já estava ardendo de tanto sentir aquela pica grossa dentro de mim me fazer subir e descer. Ele, meu titio estava sentado e eu rebolando na pica dele, pegando e acariciando seu corpo, sentir o músculo de seu braço forte e o gosto de sua boca ardente, a pegada de seu olhar e seu jeito carinho a me consumir de prazer. Logo então ele me colocava deitadinho no colchão, abria minha perna e colocava em seu peitoral meus pés, me segurava com carinho e de perna aberta começava a enfiar sua pica no meu cu me fazendo gemer, e se sentir como realmente seria uma mulher dando a buceta, mais eu sentia como era um viado sento torrado e aberto ao meio gostosamente por um macho de verdade. O tal franco assado me fazia sentir ate o ultimo milímetro de sua rola, me fazendo ousar, gemer e cautelarmente acariciar seu rosto em uma transa especial, ele então me beijava e socava ao misto de rápido e devagar, me beijando, me amando e me abrindo todo. Logo meu titio dizia estar prestes a me inundar de leitinho e eu então sentia o escorrer de porra em minhas entranhas, sentia a pica dele gozar dentro do meu cu e ainda mais seu beijar quente e delirante naquele mesmo ato que eu era aberto e torrado ao meio. Tio Reinando terminava seu ato e com muito carinho me fazia sentir o garoto mais feliz do momento, juntos fomos tomar banho onde eu pude sentir e dar banho nele e ele em mim, e em muito carinho, muito amar passamos a ficar e transar todos os dias durante as 3 semanas que ele me fez mulher, me fez seu viadinho. FIm-


    Mundo Mais 



    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    0 comentários:

    Postar um comentário

    Item Reviewed: Prive Contos Eróticos - (Incesto) Dei pro meu TIO Rating: 5 Reviewed By: Renan dos Reis
    Scroll to Top