Mundo Mais

  • Latest News

    Tecnologia do Blogger.

    Translate

    sábado, 5 de agosto de 2017

    Prive Contos Eróticos - Gato do Telhado


    Muito bem, sou o Alexandre, sou um rapaz de 26 anos de idade, sou loiro e bem branco, tenho um corpo normal e até que tenho um bunda bacana. Até gosto de mulheres e saio com elas, mas amo ser fêmea, usar calcinha e rebolar muito. A verdade é que já dei muito o rabo pra consolos, mas sou doida pra sentir carne dentro de mim. Quando uso calcinha é pra caçar, ou melhor, ser a presa, mas não tenho tanta coragem assim. Era uma manhã de terça-feira, fui dormir bem cansada (amo usar o feminino pra falar de mim), acordei daquele jeito, uma fêmea no cio. Tomei um banho, raspei os pelinhos do pitinho, e aliás, não é grande nem um pouco, raspei a bunda e as axilas. Fiquei cheirosa e sedenta. Vesti uma calcinha bem apertada, e compro as minhas calcinhas, escondendo meu pipizinho, quando faço isso ele some mesmo, fica demais. Essa calcinha fica enroladinha tipo fio dental, depois coloco outra calcinha normal, mas apertada também, rasgando minha bunda. Se estive usando uma calça jeans mais apertada daria pra ver que estava usando calcinha, mas eu fico só de calcinha mesmo. Uso uma camiseta cortada na cintura, assim, minha bunda fica todinha de fora. A verdadeira intenção vestida desse jeito é um macho gostoso me ver, gostar e pegar, mas como disse, não tenho coragem de mostrar por completo, porque mostrar eu até mostro. Onde moro, quase não passa ninguém na rua, a casa é murada e o portão é fechado. Saio até lá, rebolando feito uma doida, olho pelo olho mágico do portão e caso não tenha ninguém, abro o portão e olho a rua. Às vezes, quando estou mais doida, consigo ver alguém passando, que ainda não está em frente de casa, abro o portão, fico meio escondida pelo muro e quando a pessoa vai chegando eu entro. Adoro fazer isso. Mas o que me aconteceu não veio do portão da frente. A janela do meu quarto quando aberta, fica à mostra, caso o vizinho esteja no telhado, mas isso não acontece não é? Pois nesse dia aconteceu. Ao lado da minha casa mora uma família com pai, mãe, irmã e irmão. O garotão deve ter seus 18 anos, é um moreno gatinho, um corpo muito legal e acredito que não namore. Sempre tive tesão nele. Eu só fiquei sabendo o que ele viu depois que a campainha de casa tocou. Eu não sabia quem era e fui logo atender só de calcinha mesmo. Pelo olho mágico vi que era o garoto. – Oi, só um minuto eu já abro. Eu disse já voltando pra dentro de casa, mas ele disse do lado de fora. – Vai vestir algo? Terminando a frase com um risandinha. Eu gelei já com mil pensamentos. – Como é que é? Não entendi? Disse a ele voltando pra perto do portão que foi aberto por ele no mesmo instante. Eu não tinha nada a fazer senão ficar na frente daquele moreno gostoso só vestindo uma calcinha e sem pinto. Eu poderia entrar em pânico, xingar, sei lá, mas a minha reação foi outro, foi de tesão extremo, enquanto ele olhava pra mim com um leve sorriso e passando a mão pelo queixo, eu gozei na frente dele. Estava tremendo de tesão, não agüentei. Dava pra ver que eu tinha gozado, e eu não tinha palavras, não sabia o que fazer, a gozada me deixou quebrada, estava em transe. - Você gozou só de me ver? Perguntou ele pegando no meu braço e me virando de costas. Eu respondi meio tonta. - Hãhã? Pegando bem firme na minha bunda ele continuou. – Eu também queria gozar será que é possível? Quando ele acabou de pegar na minha bunda e apertar, me virou, e abaixou a calça tirando o cacete pra fora. – Abaixa aí, paga um boquete pra mim vai viadinho. Eu simplesmente não tinha reação nenhuma, a não ser, me ajoelhar, toda gozada, e começar a chupar e punhetar aquele pau. Estava nas nuvens, estava uma delícia, mas foi muito rápido, acho que ele nunca tinha sentido aquilo, gozou muito e eu mantive tudo na boca mostrando pra ele. - Agora eu vou abusar de você, hoje não, mas eu quero seu rabo tá? Engoli toda a porra, e respondi. – Você é quem manda gostoso. Tô esperando ele até hoje, mas acho que foi estudar fora. Se foi, vai voltar, quando voltar eu deixo ele me pegar de novo.
    Mundo Mais 

    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    0 comentários:

    Postar um comentário

    Item Reviewed: Prive Contos Eróticos - Gato do Telhado Rating: 5 Reviewed By: Renan dos Reis
    Scroll to Top