Mundo Mais

  • Latest News

    Tecnologia do Blogger.

    Translate

    terça-feira, 22 de agosto de 2017

    Prive Contos Eróticos - Roubei o NEGÂO da minha irmã


    Oi amado leitores.
    Quero agradecer ao carinho de todos.
    O fato narrado para muitos vai parecer meio tosco, mas espero que entenda meu prazer quanto ao fato.
    Eu no auge dos meus 18 anos, entendo que sexo vai muito alem do gênero sexual, pois envolve3 pessoas e sentimentos e muito que isto envolve prazer.
    Sempre gostei de meninos e de meninas, adoro a beleza e o seo entre dois garotos, e também uma bucetinha quentinha, adoro sentir o tocar da pele, independente de quem seja.
    Sempre tive muita vontade de transar, e meu fogo se traduz e 19 cm de rola que tenho e uma bundinha que perdeu a virgindade faz tempo, traduzindo adoro ser as duas coisas em uma.
    O fato de ser depravado não fazia parte laços familiares, ate o presente momento que minha irmã me apresentou seu namorado, a quem se casou a um ano após tal namoro.
    Ele se chama Douglas, tem 24 anos e uma beleza negra alinhada a simpatia que sempre me fez o desejar muito, porem o receio de ele comer a minha irmã me fazia desistir de qualquer tentativa.
    Tipo, ele com um corpo negro e malhado, a um olhar de desejo se traduziam a uma possível rola enorme que me fazia pensar e desejar em todos os momentos.
    Douglas sempre estava em casa, devido eles morarem a uma quadra da minha residência, mas também quando ele estava pouco conversamos devido a falta de entrosamento e talvez por minha irmã ter citado a ele que eu curtia as duas coisas, e por machismo ele me evitaria tal conversa.
    Todos que conhece Mato Grosso do Sul sabe o quando aqui é quente e por muitos ele me aparecia sem camiseta, e eu louco e com o cuzinho piscando de vontade de ter tudo aquilo que a minha irmã tinha.
    Bom o tempo passa e o casamento dela se consolida com várias crises, que é claro todos da família sabia, ele o Douglas a cada dia ficava mais gostoso e minha irma cansada de um casamento a mero prazer familiar.
    Eu seguia a vida e não importava muito com tudo aquilo, apenas ouvia os comentários relevantes as brigas e saídas de casa loucas de minha irmã que no outro dia resultava a um retorno descarado.
    Mas o pior ainda estava por vir. Tipo, em uma madrugada a briga foi tão feia que ela acabou quebrando toda a casa, deu policia e eu totalmente envolvido na cena, minha irmã foi conduzida ate minha casa e eu tive que ficar na dela pra ver o estrago que tinha sido formado.
    Porem ao quarto via Douglas, sem camiseta e chorando por um casamento fracassado, jamais havia pensado que viria um homem com o porte físico daquele cair em prantos por uma mulher.
    È claro que depois de tudo fiquei pasmo com a situação e estávamos sozinhos naquela casa toda quebrada, com televisão detonada, pratos quebrados, e toda uma cena de uma briga fora do normal.
    Então sentei ao lado dele e comecei a pedir calma a ele e que toda situação iria se resolver, ele aos prantos e totalmente chateado se libertou de um machismo e me deixou o abraçar.
    A cena que antes era de desejo agora me fazia repensar e o abraçar na forma de ajudar e não somente de confortá-lo, mas de levar a ele entender uma forma melhor.
    Era triste, mas ao mesmo tempo gostoso ver aqueles braços forte se consolando ao meu, pois um homem feito Douglas era raro de encontrar, ele era carinhoso, trabalhador, e minha irmã não sabia dar valor a um casamento como aquele.
    Desta forma que comecei a falar palavras bacanas pra ele, o aconselhar e ele então se acalmou, já eram mais de duas horas da madrugada e ficamos ali ao meio da destruição da casa conversando, ele estava triste, mas naquele momento eu pouco me desafiei e depois de um abraço gostoso resolvi tocar em sua mão calejada, e assim ficamos em uma cena tosca.
    Eu me sentia o protetor dele, e então ele desabafava o porquê de tudo aquilo, contava que já havia sido traído por minha irmã e ao descobrir o casamento caiu no esquecimento, na cama as coisas não estava como antes e para manter as aparências ele mantinha a postura de tentar rever tudo aquilo.
    Eu acariciava suas mãos e ele pouco importava, parecia se entregar talvez a uma forma carinhosa, pois entendia minha orientação sexual, pôr mais que isto parecia que o volume da calça dele havia aumentado, e para meu deleite ao olhar realmente vi em seu rosto triste uma esperança nascer entre suas pernas.
    Douglas parecia ter uma torra grossa nas pernas a qual o volume era inevitável transparecer, então com todo aquele carinho e uma cena triste parecia que o prazer sexual não era somente meu, e sim de ambos. Logo ele me abraçou repentinamente e eu cedi e ate mesmo senti um poco do tocar de um mastro a me ostentar.
    Então em uma cena de prazer mutuo logo me esqueci que se tratava do marido da minha irmã, toquei em seus braços, senti seu corpo ao meu e ele então assim também se entregou a situação homossexual que ali parecia.
    Ele então deixou tocar em seu rosto e olhar em seus olhos, logo sem muito esforço o sinto me segurar mais forte e me lascar um beijo voraz.
    Douglas então demonstrava ser o que nunca imaginei; um homem, negro, bonito, casado e que também curtia talvez uma transa com outro homem, e assim aos beijos sentia a pegada forte se estender a apalpar minhas bundinha.
    Seus lábios de macho veroz ao sexo, seus músculos e sua pegada firme me fazia ir alem do prazer carnal, me fazia esquecer que aquilo era proibido, pois estava se tratando do marido da minha irmã.
    Sexo, prazer, corpo, suor na alta madrugada, ele então se entrega junto comigo a sedução do medo, logo ele me joga na parede, começa a tirar minha roupa, e junto com a dele notamos que estar pelado era apenas a primeira parte do pecado carnal.
    Nossa!!!, O corpo, dele era perfeito, sua barriquinha tanquinho demonstrava a forma física de um negro lindo e gostoso, sua pica grossa e enorme demonstrava o sofrer de prazer que eu estaria breve a enfrentar.
    Não falamos uma palavras, apenas pelados e os beijos que se dizia por nós, apenas me sentindo ser tocado por um macho negro me fazia respirar mais alto.
    Era gostoso sentir aquela boca carnuda, sentir o entregar de um sexo talvez proibido, mas prazeroso.
    Eu então o deixava agora na parede e começava a possuir o que sempre quis, o beijava todo e chupava seu peitinho e tocava em suas perna grossa e malhada, sentia seu gemer de prazer e logo colocava em minhas mãos uma rola desejada por muito tempo, sentia o cheiro de pica negra e via diante de mim um desejar, um cuzinho a piscar de forma gostosa e delirante.
    Logo caia de boca na rola negra de Douglas, logo sentia o cheiro e o sabor de um sexo proibido, e me fazia delirar diante de tamanho prazer, ele era muito gostoso.
    Aquela rola grossa e suculenta parecia estar sendo minha, grossa e totalmente ereta era mamada por mim de forma louca, de um lamber ate as bolas dele, de fazê-lo gemer, sentir e urrar de prazer.
    ele então gemia de prazer e se entregava, sua pica era sugada, desejada e engolida com vontade por mim, foi então que ao me levantar com sua força e voltar a me beijar que logo ele me colocou de quatro e para minha surpresa maior começou a cutucar meu cuzinho, eu sentia seus dedos ir e vir, e gemia de prazer.
    Sentia o entrar de dois, três dedinho a navegar em minhas entranhas, ele então me surpreende mais ainda ao começar alem de ma dedar analmente mais também chupar com sua língua gostosa meu cuzinho,
    Era prazeroso estar escorado de quatro tendo meu anelzinho degustado por um homem feito Douglas, era delirante sentir a linguada dele e suas dedadas fazer de meu anelzinho um brinde sexual para ele.
    Delicia era pouco pelo sentir, ele então colocava seus dedos e chupava meu cu, metia suas língua forte e dormia todinha minha bundinha, segurava e me fazia arrepiar de desejo e de prazer.
    Douglas era um misto de macho a surpreender, e desta forma me entreguei a ele sem mesmo entender o que estava sentindo, logo ele então começou a cuspir na entrada do meu anelzinho, e então me fez ficar literalmente de quatro pra poder sentir uma torra negra a me abrir.
    Então gostosamente ele acariciava com seus dedos a entrada de meu cu, e começava a enfiar gostosamente e calmo cada centimetro dentro de mim, eu sentia uma leve dor e um prazer gostoso ao misturar com seus beijos e ao lamber de minha nuca e orelha.
    Em pouco estava eu com uma pica negra dentro de mim, estava eu sentindo o começar do vai e vem e me deliciando com a pegada firme e forte daquele homem que agora me bombeava lentamente.
    Sua pica dentro de mim me fazia gemer de prazer, me fazia ao corpo responde com um suor, com um desejo interno, pois jamia havia sentido tamanha pica e deliciosa sensação.
    Douglas, de macho que pouco falava comigo me fazia sentir a delicia de outra face e forma, ele demonstrava o quanto era carinhoso e o quanto entendia de prazer e de meter.
    Ele então me fazia gemer, e de quatro o sentia acelerar a batida do sexo, em um ir e vir gostoso, sentia minhas entranhas receber a delicia de sua rola, sentia o deslocar de meu cuzinho e o gemer de meu delírio carnal.
    Pica, rola, tudo em uma sensação que me fazia tremer na base, me fazia o sentir de uma rola a me consumir, sua pica negra, seu corpo malhado, seu tocar e sua batida rápida e forte faziam de mim um homem desejado e consumido inteiramente.
    Logo ele me mandou deixar naquele chão, então assim sem nada estava eu, e agora sentindo ele por cima de mim, sendindo ele segurar eu pelas pernas e meter no meu cu arrombado, ele metia gostoso, e eu agora tocava em seu corpo, tocava em seus braços e sentia totalmente um frango assado gostoso e delirante.
    Beijos, prazer, sexo, era tudo o que a vida me ensinavam ter Douglas como homem, ter o prazer de sentir o que talvez para muitos fosse pecado me fazia sentir ainda mais vontade e prazer
    E assim ele metia, me fazia gemer numa pica negra, me fazia sentir um homem carinhoso que talvez na vida comum não percebia, ele metia delirantemente, mas ao meio de tudo em gestos, beijos e carinhos me fazia sentir-se delirado ao sexo.
    Então ele deitou também no chão e agora me comia de lado, metia feito louco, me comia e me pegava firme, me fazia gemer, tremer e ate mesmo o apertar de tanto prazer, ele lambia minha orelha e me fazia então ir ao orgasmo, pois enquanto eu era consumido analmente eu sentia o gozar dele delirante me inundar por dentro.
    Douglas gozava dentro de mim feito louco, mijava porra nas minhas entranhas ao mesmo tempo em que seus lábios me beijavam delirantemente ao morder meus lábios.
    Era gostoso sentir um leitinho de macho negro entrar no meu cu arrombado, era gostoso sentir o deliciar de um corpo e me fuder, era gostoso sentir o prazer de ser comido pelo marido da minha irmã.
    Suávamos depois de tal transa, e então em meio a beijos e carinhos depois do gozar. Em meios de sentir de uma pele a outra eu estava ali, naquela situação. O sonho estava prestes a virar pesadelo, pois havia transado com o marido da minha irmã.
    Então acordei para a realidade, mas Douglas não, pois mesmo depois de tudo o beijar e o acariciar continuavam nós parecia não acreditar em tudo aquilo, mas também gostava de tudo aquilo.
    Então entrei no banheiro deles pra tomar banho e ele veio atrás, e assim me deu um banho com muito carinho, me beijou, me limpou e me fez sentir o que jamais imaginaria conhecer em um homem que antes tinha fama e jeito de machão.
    Eu me deixava amar por tudo aquilo, pois parecia estar vivendo em um conto de fadas.
    Porem este conto de fadas estava mais complexo do que tudo, fato este que depois desta transa Douglas e minha irmã realmente se separaram, e eu perplexo recebi uma declaração de amor dele.
    E hoje passado meses de uma transa veroz estamos juntos, nos mantemos em segredo para não chocar a família, mas eu o amo e sinto o mesmo por ele.
    Mas a muito que acontecer, pois a verdade um dia vai aparecer e com isto as conseqüências, mas entendo que apesar de tudo a vida é um livro e entre o medo e o suspense eu e ele vamos escrevendo novas paginas.
    #FIM
    Autor: Danyel
    escritordanyel@hotmail.com
    Acesse e leia mais ;
    www.casadoescritor.blogspot.com


    Mundo Mais   
    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    0 comentários:

    Postar um comentário

    Item Reviewed: Prive Contos Eróticos - Roubei o NEGÂO da minha irmã Rating: 5 Reviewed By: Renan dos Reis
    Scroll to Top