Mundo Mais

  • Latest News

    Tecnologia do Blogger.

    Translate

    sexta-feira, 3 de agosto de 2018

    Prive Contos Eróticos - O Loiro da Natação




    Olá, meu nome é Fernando. Nunca escrevi nenhum conto para lugar nenhum, sempre tive vontade, mas nunca tive tempo por conta dos trabalhos escolares que me roubavam muitas das minhas horas. Tenho 15 anos, sou moreno, olhos verdes e um bom porte físico por conta da natação que pratico desde criança! Não tenho jeito de gay, e nunca ninguém desconfiou de nada sobre mim, fico e namoro com mulheres. As garotas sempre pedem para ficar comigo, dizem que sou lindo e delicioso. Porém também sempre tive uma certa curiosidade por homens, e de uns tempos pra cá comecei a olhas meus amigos com um jeito diferente . Mas nunca revelei isso a ninguém, com medo da vergonha. No começo do ultimo ano havia saído de minha escola para que pudesse fazer colegial técnico, e acabei indo parar em uma das melhores escolas particulares do estado de São Paulo. Confesso que faço um pouco o estilo riquinho, só uso roupas e calçados de marca, mas nunca fui exibido, nunca comprei roupas com a intenção de me mostrar!

    Porém nunca poderia chegar aos pés de meus novos colegas de sala! Todos muito bem vestidos e equipados com os melhores apetrechos eletrônicos. Todos da minha escola eram lindíssimos. E acabei fazendo amizade com varias pessoas, porém um deles sempre me chamou a atenção, Gabriel era seu nome. Loiro de olhos azuis, uma pele branquinha sem mancha alguma e um corpo atlético perfeito. Um ano mais velho que eu. Nunca falei com ele, não por vergonha mais por falta de oportunidade, ele estudava em outra classe e não tinha contatos lá.A piscina da minha escola era fantástica, enorme, olímpica, estava doido para dar um pulo. Ao comentar isso com meus amigos tive a noticia que as aulas de Educação Física eram somente em quadra e em sala de aula, nada de piscina. E a piscina para ser usada você tinha que ingressar as aulas extracurriculares do colégio! Não pensei duas vezes, quando acabou a aula fui direto na secretaria fazer a minha matricula nas aulas de natação.

    Meu pai iria me buscar naquele dia e estava chovendo e havia transito nas principais vias da cidade. Liguei pra ele e disse quando iria me buscar, pois havia se atrasado. Ele disse que só iria me buscar quando a chuva parasse. Pensei: “Oh merda, vou ficar na escola o resto da tarde?”.Fui para o salão de jogos da escola que estava vazio pois quase todos já tinham ido embora, comecei a jogar Pebolim sozinho, passou-se dez minutos e já estava de saco cheio quando ouso alguém dizer: “Posso jogar?”. Quando olho, era ele, Gabriel, o menino sem defeito nenhum. Obvio que disse “Claro, chega ai.”, jogamos mais ou menos durante meia hora. Depois fomos para a Praça de Alimentação da escola tomar um suco e conversamos muito, descobri que ele jogava os mesmos jogos que eu e assistíamos os mesmos canais de TV. Quando toquei no assunto de natação ele disse quase que instantaneamente: - Mesmo que você também gosta de natação? Então demoro, vamos dar um pulo na piscina!Então eu disse:-Mas não é proibido usar a piscina a não ser para aulas extracurriculares?-Todos os monitores este horário estão almoçando, não tem perigo de nos pegarem. Faço isso mais ou menos umas duas vezes por semana e olha que estudo aqui desde a 5ª Serie. Nunca fui pego!Concordei em ir, porém teria que ser rápido, pois a chuva já havia parado e meu pai devia estar a caminho. Para não deixar suspeitas não pegamos o elevador da escola, pois tinha ascensorista. Tivemos que ir de escada. Ao chegar lá, ele já foi tirando a camiseta e a calça jeans. Nem deu tempo de apreciar seu tanquinho, quando me dei por mim ele já estava dentro da piscina.

    Como estava com muito medo de nos pegarem lá, eu ainda nem havia tirado a roupa. Dentro da piscina ele dizia:-Vamos, deixa de manha, tira logo essa roupa e da um pulo logo!Comecei tirando o tênis e a meia. Tirei depois a camiseta e fiquei só de cueca, teria tirado ela também, mas percebi que Gabriel estava com uma cueca branca e eu poderia estar sendo indelicado ficando nu. Nem deu tempo de dar um pulo e o meu celular toca. Era meu pai dizendo que estava em frente a escola me esperando para me levar para casa. “Caralho, na hora que não é pra vir ele vem” pensei comigo mesmo.Disse ao Gabriel que teria que ir embora, mas nem deu tempo de ele responder, pois ouvimos uma voz vindo do corredor que dizia: “QUEM ESTA AI?”.Reconheci a voz, era de Luiz, o monitor mais idiota da escola, todos o odiavam, ele dava suspensão aos alunos sem motivo nenhum, na certa iríamos ser expulsos se ele nos pegasse nadando na piscina do colégio.Gabriel da um único pulo e sai imediatamente da piscina. -Vamos, conheço um lugar para se esconder - Disse ele todo sorridente, na certa achava a situação de perigo engraçada. Eu pelo contrario estava quase desmaiando de medo.

    Ele me pega pelo braço e me puxa até o vestiário feminino que é o mais próximo. Me joga dentro de um armário e entra logo em seguida. Sinceramente não sei como nos dois conseguimos entrar em um único armário. A sensação de perigo misturado com excitação me domina. Nos dois, de cueca, dentro de um armário minúsculo. O corpo dele molhando roçando no meu. Ele estava de frente para mim e meu pau tocava toda hora no dele. Logo comecei a encostar meu pau de propósito no dele, e tive a suspeita que ele fazia o mesmo. Seu peito definido molhado encostando-se ao meu. Seu tanquinho parecia que estava colado no meu. Éramos um só. Colados por completo. Não hesitei em forçar meu quadril ao dele. Meu rosto estava do lado do dele. Orelha com orelha. Meu pau começou a ficar duro. E estava só de cueca, eu estava com muito medo que ele percebe-se que estava excitado com a situação. Então eu ouso alguém entrando no vestiário, ele dizia: “Alguém está aqui?”. Acho que Luiz achou improvável que uma garota estivesse descumprindo as regras da escola, e nem entrou direito do vestiário feminino! Ele foi embora.

    Gabriel abre a porta do armário com lentidão. Sai em um pulo e faz respirações ofegantes. Quando sai do armário, agora na claridade pude dar mais atenção a sua cueca. Seu pinto parecia uma tora. Não sei como não percebi isso lá dentro do armário. Ao contrario de mim que colocava a mão disfarçadamente para ele não perceber o volume, ele deixava o volume a mostra. E o formato do seu pinto era de deixar qualquer um arrepiado. Como a cueca era branca e estava toda molhada, tinha ficado um pouco transparente. Pude ver cada detalhe. A minha maior vontade naquele momento era abaixar sua cueca e fazer um boquete que durasse horas. Mais não. Apesar das indiretas que ele fazia deixando seu membro endurecido aparecer dentro da cueca, eu resisti. Ele deu um sorrisinho. Saiu do vestiário e foi logo colocar sua roupa. Ele disse: “Bom, hoje não deu certo, nem deu para nadar direito, ainda bem que amanha agente tem aula de natação não é?”, fiz que sim com a cabeça. Sai correndo do ginásio, disse que teria de ir pois meu pai devia estar furioso comigo pois o deixei esperando muito tempo em frente a escola.

    Fiquei em casa pensando o resto do dia o que havia acontecido. Estava completamente pasmo. Ao mesmo tempo em que eu pensava “Será que ele achou que eu sou gay?”, pensava no que poderia acontecer amanha, durante a aula de natação. Não conseguia dormir, tive que fazer um suco de maracujá para me acalmar. Estava com muita vontade de me masturbar pensando nele, mas achando de algo poderia acontecer amanha preferi “guardar” todo fogo para usá-lo com Gabriel na manha seguinte. O sorrisinho que ele deu, o seu pênis praticamente á mostra, não tinha como ele não estar dando indiretas. Não tinha mais duvidas aquela altura. Ele estava tendo segundas intenções comigo, e eu com ele. No dia seguinte acordei uma hora mais cedo para poder me arrumar com mais perfeição. Fiz um penteado show, mais lembrei que ia entrar na piscina e o penteado iria se desmanchar. Nem liguei, até ri, pois tinha ficado meia hora arrumando, para se desmanchar em um piscar de olhos na água.Marcos, o motorista do meu pai estava me levando para escola. Eu estava muito ansioso, muito mesmo. Tive até ânsia no trajeto!

    Ao chegar, tive que ficar esperando o dia inteiro o sinal bater, pois as aulas extracurriculares acontecem depois das aulas normais, à tarde. Pareceu uma eternidade. Meus amigos perguntavam o que havia comigo. Tive que me desculpar mais tarde pela resposta ruge que eu dei! Finalmente o dia acaba! Fui correndo para o Ginásio, me troquei na velocidade da luz e fui à piscina. Lá estava ele, com uma sunga azul-marinho que faziam brilhar mais ainda seus olhos. Ele estava com os amigos, portanto hesitei em ir falar com ele. A aula não acabava, estava doido para irmos ao vestiário! O professor fala que agora o nado podia ser livre, cada um podia nadar como quisesse. Fui até a borda da piscina, me apoiei, e fiquei lá pensando na vida. Ao sinal do apito do professor todos foram ao vestiário tomar uma ducha. Entrei e sentei em um banco. Todos tiraram suas sungas. Foi simplesmente a melhor visão da minha vida! Aquelas toras, todas posicionada perfeitamente possibilitando a melhor das visões. Mas o que me surpreendeu mesmo foi Gabriel, fiquei olhando cada movimento dele tirando a sunga. Ele estava perto, apreciei cada detalhe de seu corpo. Seus finos e poucos pelos loiros molhados nos braços e nas pernas. Seu lábio avermelhado. Seu mamilo delicioso, seu tanquinho formadinho. Fui descendo o olhar, e vi o que acho que é a melhor coisa que já vi na vida. Seus finos, lisos e loiros pelos pubianos. Seu pênis circuncidado deixava a mostra sua cabeça rosada e redondinha, seu saco era perfeito, dava vontade de morder!

    Tive que esperar todos irem embora para poder tomar banho, não queria que vissem meu pinto duro. Aguardei calmamente com a toalha no colo. Finalmente pude entrar no Box. Tirei a sunga e dei uma ultima olhada para verificar se não tinha ninguém no vestiário! Não resisti e percebendo que nada iria rolar aquele dia com o Gabriel comecei a me masturbar. Foi quando percebo que alguém pega na minha bunda, era ele mesmo quem você está pensando que é, Gabriel. Viro e vejo que ele está nu com o membro ereto. Falo só para não ter duvidas: “Que isso mano, ta pensando o que?”, ele me disse para calar a boca e me deu um beijo profundo. Um beijo que queria que durasse muito tempo. Ele disse:-Desde que estivemos naquele armário e percebi que você estava de pau duro não paro de pensar em você. Adorei saber que você gosta de uma rola. Essa sua bundinha empinada me deixa louco. Ele da um tapa na minha bunda.

    Quando ele falou isso fiquei louco, queria aproveitar cada centímetro daquele garoto. Comecei beijando loucamente seu pescoço. Dei umas mordidinhas eu seu mamilo e fui abaixando, lambi seu tanquinho e finalmente comecei a lamber a cabeça avermelhada de seu pau. Apesar de grande, consegui colocar tudo na minha boca. Sentia seus pentelhos angelicais em meu rosto. Comecei a dar fortes chupões em sua bolas. Ele gemia feito louco. Voltei a chupar seu pau, massageando suas bolas. Apertava sua bunda durinha com força. Ele me levantou e me fez apoiar na parede, ficou por traz de mim e começou a morder a minha bunda com muita força. A água caia sobre nossas cabeças. Ele abriu a minha bunda e começou a lamber meu cuzinho. Nossa, fui ao céu e voltei, foi muito bom! A língua quente dele dentro de mim foi umas das melhores sensações. Ele dizia “Adorei esse seu cuzinho piscando”. Morria de tesão. Meu pau parecia que ia explodir.

    Então ele começou a colocar o dedo. Como eu estava em pé com a bunda empinada, ele enfiava o dedo e dava leves lambidinhas no meu saco. Então ele levantou. Encostou a cabecinha do seu pau no meu cuzinho que era completamente virgem. Ele estava colocando a cabeça, doía um pouco, mas era uma dor que queria mais e mais. Mordia meu pescoço enquanto me penetrava. Dava-me beijos profundos. Foi enfiando. Cada vez mais fundo. Sentia a sua tora grossa quente se movimentando dentro de mim. Quando chegou ao fundo começou o movimento de vai e vem. Virei à cabeça para dar uma olhada, pude ver seu olhar de excitação para mim, seus olhos diziam: “Estou adorando”. Ele mordia seus lábios com muita força. Batia em minha bunda tão forte ao ponto de deixar marcas de seus dedos. Dava para sentir no ar a excitação dele. O ritmo foi aumentando cada vez mais. Seus gemidos ficavam cada vez mais fortes e longos. Ele puxou meu cabelo e deu um grito de prazer. Comprimiu-se todo dentro de mim. Enfiou lá no fundo e ficou, não voltou. Olhei novamente para ele e vi-o com os olhos fechados, se inclinando para mim, dando um grito sem som. Pude sentir a sua porra quente dentro de mim. A sensação de quentura é ótima. Poderia viver com aquela sensação. Ele tirou seu membro com muita calma e carinho. Sentia a seu gozo escorrendo nas minhas coxas. Ele mordia meu pescoço enquanto me masturbava. Dizia que havia adorado meu cuzinho. Nesse momento não agüentei e gozei, nunca alguém tinha batido uma para mim! Gozei muito. A mão dele ficou completamente melada. Depois de algum tempo dele me abraçando por traz, saímos do banheiro. Então ele me diz: “Eu tenho uma surpresa maravilhosa para você, vai adorar”.

    Ele não disse mais nada. Não disse qual era a surpresa. Foi embora! Senti-me um pouco usado, mas nem ligava! Nunca iria namorar um homem mesmo. Vou confessar meus pensamentos com vocês, logo após gozar, senti vergonha de mim mesmo. Estava com nojo de todo aquele gozo em cima de mim. O que a um segundo atrás estava adorando, agora estava odiando. Eu sabia o que era aquilo. Já tinha acontecido outras vezes após me masturbar pensando em homens. Sentia repulso. Mas isso logo passou, me banhei, vesti minhas roupas e já estava pronto pra outra. Fiquei com muito medo de o Gabriel contar para seus amigos. Já conseguia até me ver no dia seguinte, os comentários nos corredores, a humilhação. Comecei a alucinar. Fiquei imaginando câmeras no vestiário ou coisas parecidas. Se na noite passada não tinha conseguido dormir direito, essa noite nem sequer pisquei o olho.No dia seguinte fui para a escola com a respiração ofegante. Teria de novo hoje mais uma aula de natação. “Será que ele iria fazer comigo de novo?”, me perguntava. Torcia para que sim!O dia passou monótono, tentei esquecer o que havia acontecido conversando com meus amigos. Porém no intervalo das aulas, na Praça de Alimentação, acabei trocando olhares com ele. E tive ainda a chance de ler seus lábios de longe, soletrando para mim: “É hoje”. Não sei se com essas palavras me acalmei ou me apavorei mais ainda.Finalmente o dia acaba. Estava em duvida se iria ou não para a piscina. Acabei decidido no ultimo momento ir. A aula foi normal, nada de diferente a anterior. Mais de diferente mesmo foi quando entrei no vestiário!

    Ao entrar no vestiário, me deparei com o mesmo sentimento do dia anterior ao ver todos aqueles moleques nus nas duchas e outros brincando bater uns nos outro com a toalha; excitação. O medo de que o Gabriel tenha contado para todos sobre o que tinha acontecido me fazia ficar arrepiado, transtornado de medo.Meu pinto logo enriqueceu, não pude segurar, teria que enrolar um pouco o tempo no vestiário até que todos saíssem. Meu olhar foi ao encontro de o de Gabriel, ele novamente dizia palavras sem som algum, aonde lendo seus lábios pude entender o que dizia: “Eu contei, mas está tudo sobre controle”.Eu gelei, queria sumir, queria correr, queria matar todos que haviam descoberto. Minha cabeça estava girando. Pensava no meu pai, na minha família, o que eles iriam achar de mim? Quando me dei por mim, me encontrava sozinho novamente no vestiário! Pensei que poderia me matar, mas logo descartei está hipótese.Começo a tirar a roupa para um banho quente quando ouso a porta bater. Entra Gabriel e mais três amigos seus. Gabriel estava serio, acho que estava um pouco apreensivo. Já ou outros três davam risadinhas pelo canto da boca.

    Eles se organizavam lado a lado de frente para mim. O primeiro amigo, que depois vim a descobrir ser o irmão mais novo de Gabriel, Raphael, de 14 anos, não fugia tanto da caracterizas de seu irmão. Apenas um pouco mais baixo. O segundo amigo, Ricardo, do terceiro colegial, era de cabelo liso escuro, e pelas roupas e pelo bronzeado aparentava ser surfista. Seus lábios eram carnudos, e era sem duvida era o mais forte dos quatro. Todo esse conjunto unindo-se aos seus olhos cor de mel o possibilitava ser um dos maiores “catadores” da escola. Mesmo com pouco tempo de matricula já o tinha visto com varias garotas.O terceiro amigo, Thiago, era alto e tinha as coxas torneadas por conta do futebol. Seu cabelo era liso, muito escuro e arrepiado com gel. Seus olhos azuis penetrantes se destacavam diante de seus lindos e brancos dentes. Era o que mais sorria dos três. Todos eles, menos Raphael irmão de Gabriel, usavam pulseiras idênticas na mão direita. Depois fiquei sabendo que era um tipo de clube exclusivo deles.Gabriel disse: “Fernando, agente está indo lá em casa tomar alguma coisa e ver um filme, ta afim?”. Não vou dizer que não pensei duas vezes por que pensei sim. Pensei que eles poderiam estar tirando uma com a minha cara ou coisa assim. Mas meu tesão falou mais alto. E não demorou muito até estar dentro do carro que o motorista de Gabriel iria nos levar até sua casa.

    No trajeto pude conhecer cada um deles melhor! Mas não rolou nada, nem uma insinuação.Quando chegamos na casa de Gabriel, ele dispensou seu motorista para o resto do dia de folga, pois disse que não iria sair de tarde e que seus pais estavam viajando, não necessitando de seus serviços. Ao entrarmos pela porta da frente, ele, sem pensar muito, já nos levou para seu quarto! Sentamos em sua cama, que por sinal era enorme, deve ter sido feita por encomenda. Seu quarto era todo decorado com coisas que todo adolescente gostaria de ter. Depois de muitas series de comédia e muita zoação. Gabriel levanta, vai até o armário e pega uma caixa lá de dentro. Abre o cadeado e tira o seu conteúdo.-Meu maior tesouro. – Disse Gabriel

    Juro que nunca tinha visto uma coleção de filmes pornô maior que aquela. Achei até um exagero os guardar dentro de uma caixa com cadeado.Depois de uma votação para escolher qual filme iríamos ver, começamos a assistir.O silencio prevaleceu. Nenhuma palavra era dita. Todos olhavam fixamente para a tela. Parecia até hipnose. Ninguém ousava comentar cenas do filme. Eu olhava de ladinho para poder observar o volume das calças dos garotos. Thiago quebra o silencio: “Que vontade de bater uma”. Todos concordaram com a cabeça. Novamente a única coisa que poderia se ouvir era os gritos dos atores do filme. O irmão de Gabriel, Raphael, agora se acariciava colocando a mão por dentro da calça. Todos seguiram o exemplo. Ricardo, o surfista fortão, foi o primeiro á ousar um pouco mais. Abaixou a calça ficando somente de cueca. Seu pinto estava muito duro. Dava pra perceber de longe a o “molhadinho” na cueca bem na ponta da cabeça. Minutos depois todos fizeram o mesmo. Estavam todos se acariciando somente de cueca. Raphael fazia rostos de excitação que me deixava com muito tesão. Ricardo então coloca seu pau para fora. Ele tinha pouco pelos. E era enorme, o maior pau que já vi até hoje. Gabriel então levanta e desliga o televisor e começa a falar comigo:-Fernando, você está vendo isso aqui? – Ele apontava para sua pulseira do clubinho exclusivo composto por ele, Ricardo e Thiago, seu irmão não participava.-Sim estou vendo – Disse- Pois então, você pode ter uma dessas, você pode ser muito popular na escola andando com agente. Podemos lhe dar uma se você quiser. Porém você terá que fazer um sacrifício pelo grupo. Todos se aproximam de mim.-E você já sabe que sacrifício é esse não é mesmo? – Disse Thiago com um tom sarcástico e safado.

    Raphael coloca seu pinto em direção a minha boca. Era médio, nada comparado ao do irmão, dois anos mais velho. Sua barriginha tinha um tanquinho ainda em desenvolvimento, e sua pele tinha um cheiro de sabonete. Abocanhei e coloquei tudo na boca. Eu estava sentado, e Ricardo me fez deitar na cama, ele tirou sua camiseta e logo em seguida tirou a minha. Lambia um dos meus mamilos enquanto Gabriel lábia o outro. Thiago passava sua mão nas minhas coxas enquanto se masturbava. Todos aqueles homens, de todos os tipos em cima de mim me deixavam muito excitado. Ricardo me vira de ladinho, me faz abrir as pernas e começa a lamber meu cuzinho que ainda doía um pouco por conta do Gabriel que tinha feito comigo no dia anterior. Continuava chupando para Raphael, mais agora ele dividia minha boca também com seu irmão e com Thiago. Aproveitava de mais, lambia tudo, cheguei a enfiar dois paus na boca de uma única vez. Quando meu cuzinho ficou bem lubrificado, Ricardo começou a colocar o dedo. Agora não conseguia mais chupar, estava doendo, então Thiago me pegou pela frente, esfregava seu pau no meu. E ficou um sanduíche gosto com Ricardo e Thiago, e comigo no meio. Thiago me dava beijos mortais, e Ricardo dava chupões no meu pescoço. Com o olho fechado ouvi Gabriel dizer para seu irmão: “Raphael, chupa pra mim!”, mais Raphael não queria, ele dizia: “Não mano, não curto não.”, “Não quero saber, sou seu irmão mais velho e estou te mandando chupar, e foi você que implorou para vir, não foi? Eu não ia te trazer, você que quis!”. Raphael, não tendo escolha começa a chupar o pau do irmão, que mordia o lábio com o olho fechado. Por sinal estava gostando muito daquilo.

    Ricardo mudou de posição, agora que eu estava deitado de costas na cama, ele subiu em cima de mim, e me abraçando ao mesmo tempo em que me penetrava. Raphael agora parecia estar gostando e muito de chupar seu irmão, pois fazia isso com muita vontade! Thiago subiu um pouco na cama e colocou seu pinto na minha boca anunciando que iria gozar. Gozou, engoli tudo. Confesso que não achei ruim nem bom o gosto de gozo.
    Raphael parou de chupar seu irmão, e disse para o mesmo: “Agora é sua vez!”, então Gabriel abaixou e começou a fazer o que ele havia pedido. Thiago mesmo já tendo gozado já estava de pau duro outra vez, e pediu para Ricardo para trocar de posição, assim Thiago começou a me penetrar. Raphael parou de ser chupado e mandou Thiago sair de dentro de mim pois queria me “comer”, como disse com suas próprias palavras. Gabriel veio até mim e começou a me masturbar, enquanto me beijava. Anunciei que iria gozar, e gozei. Raphael gozou dentro de mim. Gabriel se levantou e gozou em cima de mim. Thiago e Ricardo gozaram em cima de mim.Depois do banho, as coisas voltaram ao normal, jogamos Twist e ganhei a pulseira que haviam me prometido, nem precisou, pois hoje quase nem falo com nenhum deles mais. A ultima noticia que fiquei sabendo, foi que o irmão de Gabriel, Raphael tinha sido expulso da escola pois pegaram ele se masturbando na sala de aula.Mundo Mais   
    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    0 comentários:

    Postar um comentário

    Item Reviewed: Prive Contos Eróticos - O Loiro da Natação Rating: 5 Reviewed By: Renan dos Reis
    Scroll to Top